Exposição “A Luz e o Fogo” inaugura amanhã na Biblioteca Municipal - 18h00 - com a presença dos autores

Versão para impressão

Luz e Fogo BMC janeiroEscultura e fotografia fazem parte das propostas da Biblioteca Municipal de Cuba para o mês de janeiro. António Cunha e Heitor Figueiredo, o fotógrafo e o escultor, dois amigos que expuseram juntos, em Junho de 1993, com a exposição “A Luz e o Fogo”. 21 anos passados, numa revisitação àquele momento, apresentam-se agora em Cuba, com a exposição “A Luz e Fogo II”.

«Estes dois artistas bejenses, por natureza e por opção, apresentam-nos um conjunto de fotografias e esculturas que abordam de novo o tema do fogo, através de uma viagem que vai das mais antigas técnicas associadas à arte do fogo até aos nossos dias, numa exposição que retoma o título original, ‘A LUZ E O FOGO II’.

O conjunto de obras, que António Cunha e Heitor Figueiredo apresentam nesta exposição, tem particularidades distintas. Para a produção das suas esculturas, Heitor Figueiredo recorre à cerâmica, uma das mais ancestrais técnicas das artes de fogo, sendo provável que as primeiras cozeduras de argila tenham ocorrido há cerca de 35.000 anos. António Cunha “apropria-se” das imagens de três técnicas das artes de fogo, a cerâmica, o vidro e o carvão, recorrendo à fotografia, técnica que terá dado os primeiros passos por volta de 1830. As esculturas de Heitor Figueiredo, de formas aparentemente abstractas, convidam-nos a sair do abstracto, para, num jogo aliciante e divertido, encontrar formas de barcos, comboios, naves espaciais e nelas entrar para viajar pelo mundo colorido da fantasia que é a nossa imaginação. Já as fotografias de António Cunha sugerem que recuemos no tempo, viajando pelo mundo das artes de fogo, como se numa máquina do tempo tivéssemos entrado, para poder vivenciar as primeiras cozeduras de peças cerâmicas, provavelmente no paleolítico superior, o fabrico das primeiras peças de vidro soprado, possivelmente na Síria ainda AC, ou ainda a montagem dos primeiros fornos de carvão vegetal. Entremos todos nesta viajem sensorial, que se poderá tornar numa grande aventura».

Noémia Cruz
Coordenadora da exposição
(1) Homo – Domesticação – Cultura Material, Fogo, Enciclopédia Einaudi, nº 16

Patente na Biblioteca de Cuba até ao final de janeiro, a exposição deverá, posteriormente, circular pelos Municípios de Aljustrel e Mértola, tendo já passado por Beja, Alvito e Castro Verde, numa iniciativa em parceria que visa promover e dar mais visibilidade aos criadores da região.