Aniversário do Museu Literário Casa Fialho De Almeida vai ser assinalado com reedição do Livro de Contos do escritor

Versão para impressão

ANIVERSÁRIO CASA FIALHO DE ALMEIDA 2021 WEB\\Este Sábado, dia 19 de junho, pelas 18:30
**** NOTA: por motivos de ordem técnica, a transmissão em direto da iniciativa que estava programada não será realizada. O Município lamenta e adianta que a apresentação do livro "Contos" de Fialho de Almeida será motivo de reportagem, a ser publicada na próxima semana.

No mês em que o Museu Literário Casa Fialho de Almeida assinala o seu segundo aniversário – inaugurado a 10 de junho de 2019 – o Município de Cuba apresenta a reedição dos Contos do escritor, numa iniciativa a ter lugar naquele espaço, a partir das 18:30, e a contar com as intervenções de João Português, presidente da Câmara Municipal de Cuba, de António Cândido Franco, Professor Doutor de Literatura e Cultura Portuguesas na Universidade de Évora, e de Ana Paula Amendoeira, Diretora Regional de Cultura do Alentejo.

“Há muito esgotado, este livro agora reeditado, é um dos livros onde Fialho de Almeida coloca mais alma, sinceridade e vida. Surge com uma forte componente humanitária e uma enorme inundação de imagens urbanas e rurais, sobretudo paisagísticas, que nos retratam a realidade quase como se a pudéssemos ver e sentir, servindo-se para isso de um vocabulário opulento, sonoro e vibrante, o que ilustra muito bem o seu talento linguístico e imaginativo”, tal como sublinha o presidente da Câmara Municipal de Cuba, João Português, na nota introdutória desta nova edição dos Contos de Fialho de Almeida.

A Câmara Municipal de Cuba, em parceria com a Delegação Regional da Cultura do Alentejo, decidiu promover a reedição das obras do escritor Fialho de Almeida, começando pela publicação do seu primeiro livro de Contos, que data de 1881. Segundo adianta o presidente da autarquia de Cuba, “é intenção do Município de Cuba continuar a reeditar as obras de Fialho de Almeida, para que os leitores possam progressivamente descobrir o escritor nas suas variadas facetas, pela multiplicidade de olhares que nos apresenta, oscilando entre a virulência do crítico e a sensibilidade do artista em busca de um ideal de perfeição”.